O despertar para a linguagem gráfica

A Linguagem é um atributo do ser humano, constituída por um conjunto de símbolos sonoros (fala) ou gráficos (escrita). A Linguagem permeia as relações, individualiza pensamentos, exterioriza emoções, organiza experiências e revela o mundo interior de cada indivíduo.

Estudos mostram que é condição inata ao cérebro humano adquirir a Fala, entretanto a Escrita necessita de treino e aprendizagem específica. Escrever requer intensa reflexão sobre as diferentes características dos sons da Língua e sua possível correlação com os elementos gráficos a serem utilizados.

No início, a criança descobre e compreende que as letras representam os sons da fala, mas precisa entender que esta relação não ocorre de forma linear e idêntica. Nesta etapa da alfabetização, há forte apoio na oralidade: a criança escreve como fala.

A escrita é a última forma de Linguagem aprendida pela criança, portanto os distúrbios em outras áreas do comportamento verbal interferem em sua aquisição.

Para que o processo da Alfabetização transcorra sem maiores dificuldades é primordial:

  • Código oral instalado sem trocas e/ou omissões;
  • Fala fluente com idéias encadeadas e coerentes;
  • Lateralidade definida, ritmo corporal cadenciado e harmonioso;
  • Reconhecimento, nomeação e uso correto dos marcadores temporais;
  • Acuidade visual e auditiva perfeitas (ou devidamente corrigidas);
  • Consciência Fonológica adequada para a faixa etária (compreensão da estrutura sonora das palavras da Língua, identificação e conhecimento de cada som. Habilidade em refletir explicitamente sobre a estrutura sonora das palavras faladas).

A aquisição de todo este sistema de comunicação humana é extremamente complexa e envolve todas as áreas cerebrais para que se desenvolva satisfatoriamente.

Não existe nada mais inteligente e intrincado para o cérebro humano do que aprender a LER E A ESCREVER!

Por Priscila Cima.


Achou interessante? Compartilhe:

Priscila Cima

Fonoaudióloga com mais de 25 anos de atuação em Fonoaudiologia Escolar e diretora da Clínica Integrada Fonoaprendizagem.

Meu interesse pela Educação e pelos Processos de Aprendizagem iniciou-se bem antes da Graduação. Atuei por 12 anos como professora do Ensino Fundamental. Neste longo período, pude compreender os limites, necessidades e possibilidades de intervenção com as crianças no árduo dia a dia da sala de aula. A experiência no âmbito escolar, somada a Graduação em Fonoaudiologia, aos Cursos de Pós Graduação, Aprofundamento e Especializações nas áreas da Linguagem Oral e Escrita são os norteadores de todas as minhas intervenções.