Hábitos Orais Inadequados

Os hábitos orais inadequados englobam: o uso da chupeta, mamadeira, sucção digital (chupar dedos) e roer unhas (onicofagia). Dentre estes hábitos, chupeta e mamadeira são as “grandes vilãs” pela facilidade em encontrá-las e pela aceitação social.

A chupeta e a sucção digital são os fatores mais influentes à má oclusão dentária. Vários estudos indicam a chupeta como menos prejudicial do que a sucção digital, apontando para a maior facilidade ao seu abandono.

A chupeta tem função primordial na ativação da sucção: a mandíbula se desenvolverá devido a este estímulo oferecido à toda musculatura da face, porém deve-se avaliar a intensidade, duração e frequência desta sucção. A sucção não-nutritiva implicará em diversas alterações dentárias e musculares desde a 1ª dentição.

A grande importância da sucção natural (amamentação) refere-se ao alto dispêndio de força muscular que interferirá positivamente no desenvolvimento da musculatura facial.

Com a mamadeira, a criança atinge rapidamente a plenitude alimentar, ativando pouco a musculatura perioral.

A diminuição do tônus muscular, causada pelo uso prolongado da mamadeira, poderá provocar vedamento labial deficiente, dificuldades de fala, movimentos incorretos ao deglutir (engolir saliva, líquidos e alimentos sólidos) e até desenvolver a Síndrome do Respirador Bucal.

Quando os hábitos orais inadequados não são eliminados no momento conveniente, várias alterações poderão ocorrer:

  • Alterações dentárias: mordidas abertas, cruzadas, arcadas estreitas;
  • Respiração oral;
  • Palato ogival (“céu da boca” profundo);
  • Assimetrias faciais (diferenças na face);
  • Língua com postura inadequada (rebaixada: descansando no soalho da boca ou anteriorizada: posicionada entre os dentes da frente);
  • Hipotonia orofacial (tônus muscular da face diminuído);
  • Dificuldades ou impossibilidades na articulação de alguns fonemas (sons da fala);
  • Otites de repetição com ou sem alterações nos limiares auditivos (diminuição temporária ou permanente da audição).

A adequação destas funções dependerá da ajuda e intervenção de profissionais especializados: Fonoaudiólogo, Dentista, Ortodontista e Otorrinolaringologista.

Por Priscila Cima.


Achou interessante? Compartilhe:

Priscila Cima

Fonoaudióloga com mais de 25 anos de atuação em Fonoaudiologia Escolar e diretora da Clínica Integrada Fonoaprendizagem.

Meu interesse pela Educação e pelos Processos de Aprendizagem iniciou-se bem antes da Graduação. Atuei por 12 anos como professora do Ensino Fundamental. Neste longo período, pude compreender os limites, necessidades e possibilidades de intervenção com as crianças no árduo dia a dia da sala de aula. A experiência no âmbito escolar, somada a Graduação em Fonoaudiologia, aos Cursos de Pós Graduação, Aprofundamento e Especializações nas áreas da Linguagem Oral e Escrita são os norteadores de todas as minhas intervenções.