artigo05

10 dicas para Escolher com Traquilidade a Nova Escola do seu Filho

É nesta época do ano que as escolas abrem novas vagas e os pais iniciam a busca por uma escola para matricular os filhos.

O primeiro dia de aula, novos amigos, aprendizados e descobertas. É na escola que tudo isso acontece.
O que se vive lá contribui para a formação do ser humano e, por isso, escolhê-la é tão difícil.

Algumas famílias optam por escolher uma escola conhecida ou que foi indicada por familiares e amigos, mas a pergunta que fica é: será esta a melhor escolha?
Em busca da resposta e dependendo da idade do seu filho é necessário torná-lo protagonista do processo de escolha e não mero coadjuvante.
Isso dará aos pais a possibilidade de ouvi-lo e conhecê-lo, pois, na ânsia de querer o melhor, esquecem-se de que os filhos têm desejos, e até mesmo limitações, e que devem sempre considerar que o que é melhor para uns não necessariamente é para os outros; inclusive entre irmãos.

Para que essa jornada se torne mais tranquila, seguem 10 dicas que devem ser levadas em consideração na hora da escolha:

1- Tenha uma Relação de Escolas

Antes de tudo, saiba exatamente o que você espera da escola. Liste aquilo de que não abre mão, como espaço físico, proximidade de casa, opção de período integral, oferta de cursos extracurriculares. Cada família tem seus próprios aspectos a considerar, por isso é bom criar uma lista de prioridades. Ao fazê-la, você visualiza o que deseja, e isso facilita a busca.

2- Faça Visitas

Não há número mínino ou máximo de escolas que devem ser visitadas antes de fazer a escolha. Para alguns, pode acontecer logo de cara, na primeira visita. Para outros, leva tempo e muita pesquisa. A decisão final só deve ser tomada quando os pais se sentem realmente seguros e confiantes.

3- Converse com Pais e Alunos

Aproveite a hora de saída ou entrada das crianças para conhecer pais de alunos da instituição. Converse com eles sobre questões básicas como alimentação, rotina, método de ensino. As respostas deles podem confirmar (ou não) suas impressões iniciais sobre a escola.

4- Verifique o Alinhamento da Criança e Escola

Opte por uma escola que tenha a ver com o seu filho e o estilo da família. Não adianta, por exemplo, colocar a criança em um colégio religioso se vocês não são daquela religião ou tem uma orientação religiosa diferente.

5- Faça uma visita com o seu filho

Se você já eliminou diversas opções e ainda está em dúvida entre duas ou três escolas, leve seu filho para visitá-las. Quando a criança vai ao colégio, os pais percebem se ela simpatiza com o ambiente e o tratamento dos profissionais com ela.

6- Equipe

Opte por uma escola que tenha uma equipe de profissionais completa: coordenação, orientação pedagógica e apoio psicológico. Isso trará segurança e confiança tanto para o aluno como para a família.

7- O que mais pode oferecer

O colégio deve ir além de apenas passar o conteúdo das aulas e cuidar da criança, mantendo-a limpa e alimentada. Valorize a instituição que também ensine valores e estimule o desenvolvimento cognitivo, físico e social – independentemente da idade do seu filho.

8- Preço e Qualidade

O alto custo de uma escola particular não significa, necessariamente, boa qualidade educacional. Há excelentes instituições públicas com projeto pedagógico interessante, enquanto algumas privadas têm projetos duvidosos. Não dá para generalizar.

9- Ajuste ao seu Padrão Financeiro

Leve em conta o padrão de vida dos alunos. Ainda que você possa pagar a mensalidade, talvez não consiga acompanhar os hábitos daquela comunidade. Isso pode ser ruim para a criança, pois ela vai desenvolver um senso de inferioridade, é como se ficasse sempre atrás. Por isso, opte por uma escola que se ajuste ao seu padrão financeiro. Assim, seu filho se sentirá parte do grupo, terá assuntos semelhantes e poderá frequentar os mesmos lugares que os amigos.

10- Horários

Quando o pai e a mãe trabalham fora, é essencial questionar sobre o que acontece caso se atrasem para buscar a criança. Cada escola tem seu método, há desde as que não aceitam atrasos até as que cobram taxas extras pelo tempo a mais que a criança permanece ali.


Conclusão

Conversem em família, pondere os desejos e anseios e escolha um meio termo onde todos serão beneficiados. Não se esqueça de tirar todas as dúvidas; não tenha receio de perguntar nada, pois a partir desse processo que terá início a construção do projeto de vida escolar de seu filho.

Por Priscila Cima.


Achou interessante? Compartilhe:

Priscila Cima

Fonoaudióloga com mais de 25 anos de atuação em Fonoaudiologia Escolar e diretora da Clínica Integrada Fonoaprendizagem.

Meu interesse pela Educação e pelos Processos de Aprendizagem iniciou-se bem antes da Graduação. Atuei por 12 anos como professora do Ensino Fundamental. Neste longo período, pude compreender os limites, necessidades e possibilidades de intervenção com as crianças no árduo dia a dia da sala de aula. A experiência no âmbito escolar, somada a Graduação em Fonoaudiologia, aos Cursos de Pós Graduação, Aprofundamento e Especializações nas áreas da Linguagem Oral e Escrita são os norteadores de todas as minhas intervenções.