artigo07

O Distúrbio do Processamento Auditivo Central (DPAC) e o Aprendizado Escolar

O Distúrbio do Processamento Auditivo Central (DPAC), também conhecido como transtorno do processamento auditivo é mais comum do que se imagina.

Na infância, mais especificamente no período de alfabetização, é que o distúrbio precisa ser identificado rápida e assertivamente para não comprometer o aprendizado escolar.

Esta dificuldade na infância pode trazer prejuízos tanto social como de aprendizagem, porque a criança não entende o que o professor fala, não sendo capaz de escrever, interpretar textos e compreender o enunciado do problema.

Os sintomas do DPAC, podem variar e ter diferentes formas de manifestação em crianças.

Confira alguns sinais e sintomas do DPAC

  • vocabulário restrito;
  • dificuldade na aprendizagem de leitura e escrita;
  • dificuldade em manter atenção a estímulos puramente auditivos, pedindo constantes repetições;
  • tempo de latência aumentado para emissão de respostas e/ou emissão de respostas inconsistentes aos estímulos auditivos recebidos;
  • discriminação dos sons de fala prejudicada na presença ou não de estímulos simultâneos ou competitivos;
  • falha de memorização das mensagens ouvidas;
  • aprendizagem insuficiente quando restrita ao canal auditivo.

As causas do DPAC

As causas do DPAC podem ser variadas e muitas vezes desconhecidas, contudo as mais comuns são de origem genética, otites de repetição, lesões cerebrais por anóxia ou traumatismo craniano, presença de outros distúrbios neurológicos, atraso maturacional das vias auditivas do Sistema Nervoso Central ou por envelhecimento natural do cérebro.
Por isso, a maior parte dos diagnósticos é feita em crianças e idosos.

Diagnóstico do DPAC

É necessário realizar uma Avaliação completa das Funções Auditivas, bem como das habilidades relacionadas à Leitura e Escrita. Após o resultado do exame do Processamento Auditivo Central e das Funções Leitoras e de Escrita, pode - se fazer o diagnóstico diferencial entre outras alterações como Dislexia e Transtorno de Déficit de Atenção.

Clique aqui e saiba mais sobre Processamento Auditivo (PAC) e Avaliação Fonoaudiológica.

Por Priscila Cima.


Priscila Cima

Fonoaudióloga com mais de 25 anos de atuação em Fonoaudiologia Escolar e diretora da Clínica Integrada Fonoaprendizagem.

Meu interesse pela Educação e pelos Processos de Aprendizagem iniciou-se bem antes da Graduação. Atuei por 12 anos como professora do Ensino Fundamental. Neste longo período, pude compreender os limites, necessidades e possibilidades de intervenção com as crianças no árduo dia a dia da sala de aula. A experiência no âmbito escolar, somada a Graduação em Fonoaudiologia, aos Cursos de Pós Graduação, Aprofundamento e Especializações nas áreas da Linguagem Oral e Escrita são os norteadores de todas as minhas intervenções.