FONOAUDIOLOGIA E ESCOLA - UMA PARCERIA DE GRANDE SUCESSO

O Trabalho de Orientação Fonoaudiológica no âmbito escolar objetiva acompanhar e enriquecer a aquisição da Linguagem oral e escrita, norteando com maior precisão este desenvolvimento, desde a mais tenra idade até os níveis mais avançados.

A Linguagem deve ser analisada como um processo amplo e contínuo, construído ao longo do desenvolvimento neuropsicomotor de cada indivíduo. Os aspectos que a constituem são complexos e interligados: motor e rítmico (corporal/gestual, duração do estímulo); perceptual (visual/auditivo/sinestésico); lingüístico (fonético/fonológico); vocal (qualidade vocal, intensidade e altura); social (sociabilização, troca de turnos: ouvinte/falante).

Cada faixa etária apresenta determinada performance linguística (comunicação, leitura/escrita), cognitiva (aquisição e generalização de conceitos) e motora (coordenação motora global e fina, traçado, articulação), porém, muitas vezes, não ocorre o desenvolvimento esperado, sendo necessária uma orientação fonoaudiológica específica.

Características anatômicas individuais interferem em todo processo comunicativo como a respiração, mastigação, arcadas dentárias, tonicidade corporal e facial.

Em alguns casos há a necessidade de orientação aos pais acompanhada ou não de terapia fonoaudiológica à criança, e também sugestões para outros encaminhamentos.

A Fonoaudiologia pode atuar como facilitadora de todo processo, minimizando as dificuldades e maximizando os potenciais de cada criança.

O principal enfoque, dentro da Escola, deve sempre ser o PREVENTIVO, evitando que os distúrbios se instalem e/ou se prolonguem.

Para que este planejamento seja desenvolvido de forma satisfatória faz-se necessário três momentos diferentes de atuação:


1. Observação

Observação contínua das turmas sem interferir no andamento e execução das tarefas diárias, a fim de acompanhar o ritmo da turma, seus interesses e dificuldades atuais. Com esta observação, pode-se estabelecer o perfil das queixas e/ou alterações fonoaudiológicas dos alunos, possibilitando um melhor direcionamento das atividades curriculares e extracurriculares.


2. Acompanhamento do conteúdo pedagógico de cada nível

É importante e produtivo que a equipe fonoaudiológica acompanhe o conteúdo programático e o desempenho de cada criança dentro de sua série.


3. Atuação interdisciplinar

Discussão e trocas de informações constantes com a coordenação pedagógica, professores titulares e de áreas complementares.

Quando alguma alteração na Linguagem Oral e/ou Escrita for detectada a criança será encaminhada para uma avaliação fonoaudiológica individual. Em alguns casos, se faz necessário orientação aos pais, acompanhada ou não, de terapia fonoaudiológica à criança, e também sugestões para outros encaminhamentos.

Este encaminhamento será realizado através de dados observados e discutidos pela coordenadora, professora responsável e fonoaudióloga.

A identificação precoce destas dificuldades otimiza o tratamento, antecipa os resultados esperados e previne maiores alterações.

O aprendizado depende da interação entre Herança Genética e Educação.

Grande parte dos problemas que alteram o curso evolutivo da linguagem oral e gráfica poderá ser resolvida se detectada e tratada prontamente de modo conveniente.