MOTRICIDADE ORAL

Motricidade Orofacial:

Durante a alimentação, a criança exercita a musculatura orofacial, estimulando o crescimento da face. Desta forma, a sucção e a mastigação adequadas evitam alterações dentárias e dificuldades na movimentação de estruturas como lábios e língua, fundamentais para a produção dos sons da fala.
O trabalho ortodôntico e fonoaudiólogo estão intimamente relacionados, ou seja, um interfere e depende diretamente do outro. Cada caso deve ser analisado e discutido pelos profissionais envolvidos.
O fonoaudiólogo, por meio da terapia miofuncional orofacial, promove a adequação da musculatura e das funções orofaciais, favorecendo a estabilidade dos casos tratados por ortodontistas, evitando que as alterações dentárias voltem.


Respiração Oral:

A respiração oral poderá trazer prejuízos nas estruturas e funções faciais, no sono, na alimentação, na aprendizagem, na audição e na voz.
Respiradores orais podem apresentar várias características combinadas: nariz obstruído, respiração ruidosa e rápida, ronco, flacidez da musculatura labial, das bochechas e da mandíbula, língua com pouca força e movimentação reduzida, posicionamento língual mais anteriorizado e rebaixado, mudanças na estética e na oclusão dentária, face alongada, palato estreito e/ou profundo.


Alimentação:

A mastigação dos alimentos no respirador oral é realizada com os lábios abertos, tornando-se mais rápida, ruidosa e desordenada. A mastigação ineficiente pode acarretar problemas digestivos e engasgos pela incoordenação da respiração com a mastigação.
É difícil respirar pela boca quando a mesma está cheia, sendo assim, será necessário escolher entre mastigar ou respirar.
Quem respira pela boca pode apresentar falta de apetite, menor força para mastigar e dificuldades para engolir. Em virtude disto, prefere alimentos mais moles e utiliza o líquido junto com os alimentos para auxiliar a deglutição.
A alimentação do respirador oral também pode ser prejudicada pela diminuição do olfato e do paladar.


Fala:

A fala do respirador oral pode apresentar alterações: fala imprecisa, articulação travada, excesso de saliva, dificuldades no controle salivar, sigmatismo anterior (distorção da fala caracterizada pela colocação da língua entre os dentes incisivos centrais durante a produção dos fonemas /S e Z/).
A pessoa que respira pela boca deverá procurar um Fonoaudiólogo com experiência em Motricidade Orofacial para tratamento da respiração oral.


Uma correta Avaliação Fonoaudiológica poderá identificar e traçar a estratégia de tratamento destes e outros hábitos orais inadequados.

A Fonoaudiologia pode atuar como facilitadora de todo processo de Aprendizagem, minimizando as dificuldades e maximizando os potenciais de cada aprendiz.